Blog

Storytelling: como usá-lo a favor da sua carreira!
Aprimorha, Carreira, Comportamento, Dicas

Storytelling: como usá-lo a favor da sua carreira!

Você é um bom contador de histórias? Sob um fluxo intenso de informações que chegam a cada instante por meio de estímulos externos, é essencial provocar engajamento em quem se deseja alcançar. Esse é o objetivo do storytelling, técnica que envolve narrativas para uma aproximação eficaz com o público. “É o ato de criar uma conexão por meio de uma história, você cria uma ponte entre você e uma pessoa, você cria uma ponte entre a pessoa que ouvi uma marca, essa pessoa e um serviço, essa pessoa com o apresentador. Então é uma forma de criar conexões por meio de uma história”, explica a palestrante e professora de comunicação pessoal e corporativa especializada em storytelling, Fernanda Zerbini. Acompanhe a entrevista e descubra como usar a técnica em ambiente profissional.

1) Como você entrou neste universo? O que os palcos contribuíram para a sua nova trajetória?

Eu já dava aula há um tempo e vim de uma formação teatral onde nós, de certa forma, contamos histórias porque somos personagens de uma peça de teatro que é uma história, mas eu não utilizava de forma estratégica, eu utilizava de forma intuitiva as histórias. Então sempre que eu dava aula eu contava histórias e eu via como isso era importante para aprendizagem, mas muitas vezes descontraía, muitas vezes surpreendia tão em sala de aula eu já usava. Ai eu passei a estudar mais esse tema em cursos, em livros e me especializar em storytelling. Então o que eu fazia de forma intuitiva eu passei a estudar mais e ver como isso poderia impactar para um treinamento, para uma palestra. Mas eu diria que eu sempre contei histórias antes como personagem e depois como comunicadora, como palestrante.

2) Como ele pode ser usado em ambiente de trabalho?

De várias maneiras, você tanto pode usar o storytelling para bater um papo, tomar um cafezinho, porque esse storytelling cria a cultura do lugar, como a empresa pode também contar as histórias para transmitir melhor as mensagens e a ideia da empresa, mas também passar melhor qual é o arquétipo, a persona da marca. Então isso funciona tanto internamente quanto externamente com o cliente, mas eu digo que a história está em todo lugar porque de qualquer maneira histórias estão sendo contadas e o storytelling é uma forma estratégica de você pensar “poxa qual história é importante nós contarmos?”. E colocar ela como a mensagem importante que vai criar cultura. Se eu não pensar em storytelling uma cultura que está sendo criada de uma forma sem estratégia.

3)Como ele pode potencializar vendas?

Ele potencializa as vendas, porquequando eu ouço uma história eu ouço mais o que é um produto, eu ouço um contexto, eu ouço um sonho, eu conheço personagens, eu conheço uma causa. Eu vou muito além do produto, muito além. Então ele potencializa porque eu posso mergulhar em um universo onde o produto faz parte e eu não estou só vendendo o produto, eu estou contando uma transformação, eu estou contando uma experiência. Então quando eu faço storytelling, eu mergulho em uma história aonde o produto faz parte dessa história. Então é muito mais interessante me manter conectado do que você falar tecnicamente e muitas vezes tecnicamente sobre o produto eu faço isso rapidamente, mas isso eu não vou lembrar e as histórias são marcantes.

 4)Nos conte três dicas para desenvolver a técnica de storytelling.

A primeira dica para o storytelling é pensar: “Qual é a moral desta história, qual a mensagem que eu quero passar”. Se você não tem moral, qualquer história serve. É como o gato pergunta para a Alice: “onde você quer chegar?”. Então é importante destacar a moral dessa história, a mensagem. Segundo ponto importantíssimo é o arquétipo da história, qual é o estilo da história. É uma história bobo da corte, que tem graça, que é bem humorada, é uma história sábia, que passa conhecimento, é uma história governante, de qualidade e isso vai determinar todo o tramite da história, todo ritmo da história, as palavras que eu conto na história. Além de saber a mensagem, é superimportante saber o arquétipo, que é a persona, o estilo. E ai eu diria que toda história tem problema, conflito. Precisamos pensar no conflito porque sem conflito, não há curiosidade. Se eu não encontrar o conflito da história, ela não vai me prender e essa talvez seja a maior diferença entre o storytelling e contar a história institucional da empresa, porque a história eu não vou falar do problema, mas o storytelling eu coloco conflitos com os quais as pessoas se identificam. E eu não estou dizendo o conflito da empresa, eu estou dizendo conflitos. Resumindo, é olhar para a mensagem para a moral da história, o estilo, o arquétipo da marca e pensar nos conflitos que as pessoas vão se identificar.

Deixe seu comentário aqui